Páginas

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Lady Lazarus (Lady Lazarus)

Eu fiz novamente.
Um ano em cada dez
eu consigo --

um tipo de milagre ambulante, minha pele
brilhante como um abajur nazista,
meu pé direito

um peso de papel,
minha face, um inexpressivo, fino
linho judeu.

Tire o lenço,
ó meu inimigo.
Eu te assusto? --

O nariz, as covas dos olhos, todos os dentes?
A respiração azeda
vai sumir em um dia.

Logo, logo a carne
que a tumba comeu estará
em casa comigo

e eu serei uma mulher sorridente.
Tenho apenas trinta.
E como o gato eu tenho nove vidas para morrer.

Essa é a Número Três.
Mas que lástima
aniquilar cada década.

Que milhões de filamentos.
A multidão mastigadora de amendoins
se empurra para ver.

Eles me desembrulham mãos e pés --
o grande strip tease.
Senhores, senhoras

essas são minhas mãos,
meus joelhos.
Eu posso ser pele e osso,

contudo, eu sou a mesma, idêntica mulher.
A primeira vez que aconteceu eu tinha dez.
Foi um acidente.

A segunda vez eu quis
aguentar e não voltar mais.
Eu me fechei

como uma concha.
eles tiveram que chamar e chamar
e colher os vermes de mim como pérolas grudentas.

Morrer
é uma arte, como qualquer outra coisa.
Eu faço excepcionalmente bem.

Eu faço para que pareça como o inferno.
Eu faço para que pareça real.
Eu acho que você poderia dizer que eu tenho um chamado.

É fácil o bastante para fazer em uma cela.
É fácil o bastante para fazer e ficar parado.
É o retorno teatral

em pleno dia
para o mesmo lugar, a mesma face, o mesmo brutamontes
divertido gritar:

'Um milagre!'
Isso me estarrece.
Há um preço

por olhar minhas cicatrizes, há um preço
por ouvir meu coração --
ele realmente existe.

E há um preço, um grande preço
por uma palavra ou um toque
ou um pouco de sangue

ou um pedaço de meu cabelo ou minhas roupas.
Então, então, Senhor Doutor,
então, Senhor Inimigo,

Eu sou seu opus,
eu sou sua preciosa,
o bebê de puro ouro

que derrete em um grito.
Eu me viro e queimo.
Não pense que eu subestimo sua grande preocupação.

Cinza, cinza --
você atiça e agita.
Carne, osso, não há nada aqui --

um bolo de sabão,
um anel de casamento,
uma obturação de ouro.

Senhor Deus, Senhor Lúcifer
cuidado
cuidado.

Das cinzas
eu ressurjo com meu cabelo vermelho
e eu como homens como o ar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

atraducaolivre.blogspot.com.br no linkto